segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Doctor Who (09X01, The Magician's Apprentice)

Não escrevo um post de opinião sobre episódios já faz algum tempinho, mas resolvi falar um pouco sobre o novo episódio de Doctor Who porque afinal, é Doctor Who e eu sou MALUCA por essa série. Então vamos lá...

AVISO ESPECIAL! Antes de qualquer coisa devo dizer que este post contém muitos spoilers sobre o primeiro episódio da nova temporada de Doctor Who. Apenas avisando para que não tenha nenhum problema depois.

Como você já está avisado, agora é só soltar o clique em mais informações para continuar lendo o post.

 Estava com saudade de usar esse gif da River, sempre que tem spoilers ela aparece por aqui, mas ultimamente tenho escrito só posts livres de spoilers então ela sumiu. Mas vamos ao episódio, sim?
Eu amo o Capaldi como Doutor, ele é maluco, extremamente inteligente e passa o sentimento de que sim, é a mesma pessoa. O mesmo personagem, só que com um rosto diferente. Mas devo dizer que ainda sinto MUITA falta do Matt já que ele sempre será o meu Doutor favorito. Agora sim vamos ao episódio.
AHHHHH que saudade de ver episódios inéditos dessa série maravilhosa. Para quem não sabe antes desse episódio tem um mini-episódio com o Doutor surtando e eu super me identifiquei com ele não conseguindo meditar e caso vocês queiram assistir é só dar um google por ai que já espalharam o conteúdo pela internet.

O episódio já começa de forma tensa, milhares de pessoas correndo em o que parece ser um campo de batalha enquanto uma música com cheirinho de guerra toca ao fundo.
Primeiramente eu amo as ideias que o Moffat tem, suas versões de coisas que já existem são sempre inovadoras e completamente malucas. O que foi as minas de mão nesse episódio? Genial!
Os diálogos já começaram de forma excepcional, conseguindo balancear uma cena séria com humor de uma forma que já estou até acostumada a ver em Doctor Who, mas sempre me deixa feliz ver novamente. O Doutor do Capaldi é mais sério, mas ainda assim consegue trazer as maluquices que seguem o personagem conhecido justamente por suas diferenças na hora de agir e reagir as coisas. E nessa regeneração o Doutor é mais intolerante e direto, o que cria várias cenas divertidas e intensas de se assistir, e este episódio começou do jeito certo. Gosto de como essa série consegue ser obscura e feliz ao mesmo tempo, e esse episódio foi totalmente um exemplo disso.
Ver vários planetas diferentes e raças foi uma coisa linda, e o Colônia Starff foi realmente assustador. Nesse ponto do episódio fiquei esperando vê-lo completamente transformado para descobrir o que realmente assustou todos.
E preciso dizer que foi genial colocar o Doutor tentando salvar alguém que mais para frente seria um dos culpados de destruir seu planeta. Isso me lembrou do episódio Let's Kill Hitler em que sem querer o Doutor acaba salvando o Hitler, mas claro que naquele momento isso foi menos tenso já que sabíamos que mais para frente Hitler morreria de um jeito ou de outro. Já no caso desse episódio a situação vai bem mais á fundo do que o ocorrido lá, afinal é o tema principal, sendo que naquele episódio o tema principal era a existência da River ao invés do salvamento de alguém que destruiu milhares de vidas.
Não sou a maior fã da Clara, devo dizer isso, mas eu AMEI a forma como ela precisou sair da sala de aula ao ser chamada pela UNIT, foi muito bom. A cena ficou incrível.
E a chegada da Missy, que coisa maravilhosa. Esses personagens que sabem chegar chegando são uma coisa linda. E a Missy foi uma novidade incrível da temporada passada, uma regeneração feminina no Mestre foi uma das ideias mais inteligentes já colocadas em roteiro, e a Michelle Gomez está fazendo um trabalho sensacional. Ela é uma atriz incrível que consegue trazer do roteiro do Moffat o melhor do impossível para a Missy.

E nesse episódio vi uma Clara de início que não esperava. Ultimamente eles não souberam aproveitar a personagem e senti que ela ficou meio solta, principalmente com seu relacionamento com o falecido Danny Pink. Então estou muito feliz que as coisas mudaram e espero que a personagem cresça porque até agora ela é a mesma Clara de sempre e não parece ter aprendido muito com suas viagens na TARDIS como acontece normalmente com as companions que sempre que vão embora, levam uma mensagem dentro de si.
Agora vamos falar sobre o Doutor encima de um tanque de guerra com uma guitarra e óculos escuros. O quão sensacional foi essa cena? Haha
Amo a brincadeira que Doctor Who faz com sério e humor, mas já falei disso mais acima então vamos continuar analisando o episódio.
Esse episódio me fez gostar ainda mais do Capaldi e me lembra da época do Matt, então obviamente me senti super bem assistindo. Doctor Who é capaz de deixar meu dia mais feliz, sempre que tenho um dia ruim é só colocar algum episódio aleatório da série e pronto, já me sinto melhor. Não foi diferente com The Magician's Apprentice.
A menção linda ao cachecol enorme colorido do 4 e a gravata borboleta do 11 me deixou com um sorriso enorme no rosto. Mas a tensão da situação ainda estava ali, afinal o que diabos estava acontecendo para o Doutor agir assim? Não me surpreendeu toda essa piração, afinal ele é o Doutor e o Doutor é um maluco numa caixa azul. Isso nunca vai mudar, e esse sempre será um dos principais motivos para que eu ame tanto essa série.
Quando a transformação completa do Colônia Starff aconteceu eu definitivamente não fiquei decepcionada. Foi ainda melhor do que imaginei, ficou lindo visualmente falando e assustador para quem está assistindo. Muito bem feito, e sem dizer uma palavra explicou completamente o colônia no meio do nome da criatura.
O balanço desse episódio foi muito bom. Clara teve seu espaço, Missy teve seu espaço (E roubou a cena várias vezes ) e o Capaldi foi lindão. E preciso dizer que esses olhos de Dalek saindo da testa das pessoas me são muito perturbadores, coisa mais estranha. Mas cumpre seu papel muito bem e eu acho genial. Achei até que demorou para que eles chegassem a essa tecnologia de tomar a forma de um humano para se infiltrar nas situações já que os Daleks acreditam fielmente que são os reis do universo e a melhor espécie e etc, quando vi isso pela primeira vez achei simplesmente incrível, e isso não mudou conforme o tempo passou, ainda acho incrível e tendo visto o mini-episódio antes desse episódio, ver o personagem que o tempo todo era um Dalek e nós não sabíamos se transformar me deixou triste porque eu já tinha me apegado ao bichinho. Mas fazer o que, não se poder confiar no Steven Moffat.

E alguém salva a TARDIS pelo amor de Deus! Estava pirando nesse momento porque eu sou o tipo de pessoa que fica muito brava se machucam a TARDIS. Ela é praticamente um personagem da série, dá vontade de colocá-la num potinho e mantê-la protegida dessas pessoas más que tentam fazer mal a ela.
Os Daleks trocaram de cor novamente como aquelas capinhas de Iphone 5C que tem um milhão de coisas redondas que formam um estilo colorido com um fundo colorido, isso já está virando algo comum para eles. Daleks dizem que não tem conceito de elegância, mas estão super ligados na moda atual. Quero meu Dalek vermelho e azul por favor, acho que vai ficar uma graça.
Brincadeiras á parte, confesso que fiquei esperando o episódio inteiro por algum plano extremamente inteligente do Doutor, e os últimos minutos me deixaram bastante apreensiva sobre o que ia ou não acontecer para finalizar essa bagunça. E quando isso não aconteceu o máximo que pude fazer foi esperar que o próximo episódio consiga explicar cada detalhe perdido neste aqui.
Foi um começo inteligente. Acredito que o Doutor não vá matar o Davros, mas uma parte de mim anda em conflito já que desde o primeiro episódio da temporada anterior existe aquela história de que o Doutor poderia ou não ter matado uma criatura. Não tivemos respostas naquela época, e ainda não temos sobre o ocorrido, e isso gera certa dúvida em questão a tudo.
Considero esse episódio um prólogo para o que vai acontecer no próximo, e como um prólogo foi um ótimo episódio. Gostei do tema abordado e espero que o próximo episódio faça jus ao que foi apresentado em The Magician's Apprentice. Literalmente espero tudo do próximo episódio que com certeza vai explodir cabeças e bagunçar tudo como o Steven Moffat ama fazer.

Quatro borboletas - Gostei bastante.

Este episódio com certeza me fez querer roubar a TARDIS para ter acesso ao próximo agora e não apenas na semana que vem.
Em todo foi um ótimo episódio, mas espero que no próximo explorem um pouco mais a inteligência do Doutor e seus planos mirabolantes e extravagantes, já que até agora nesse episódio ele foi mais um espectador do que acontece, do que uma pessoa que planeja e resolve tudo. Acredito que o próximo episódio vai conseguir mostrar como o 12 é incrível assim como o episódio de Natal o fez.
Gostei de ver o Doutor em uma "festa", isso me lembrou a época do Tennant em que ele era o maior festeiro e sempre animava as celebrações, mas no próximo quero realmente ver um plano bem bolado e inteligente que mostre o potencial do novo Doutor.
Foi legal ver uma versão do Dalek que apareceu em arcos do 1 e do 3 Doutores, e a menção linda das três supostas Atlantis que fazem referência as três vezes que o Doutor visitou Atlantis. Esse episódio foi cheio de referências lindas da série clássica como um bom episódio com Daleks deve ser. Não estou preocupada com a morte da Missy e da Clara porque tenho certeza de que isso vai ser revertido, e finalmente... Doctor Who voltou destruindo estruturas com um ótimo episódio, inteligente e com humor no ponto certo.
Gostei demais desse episódio e tenho certeza de que o que aconteceu nele vai levar milhares de coisas a acontecerem mais para frente. O roteiro está incrível, as atuações maravilhosas, tudo ficou lindo e agora... BBC, vamos conversar sobre a Netflix, ela lança uma temporada inteira numa data só ao invés de um episódio só por semana, que tal vocês fazerem o mesmo? Eu super apoio.
Ah, e Missy, eu te culpo por estar com "Hey Missy" na cabeça já faz mais de uma hora. É sério, ás vezes me pego cantando o refrão na maior animação. I need help.




Nenhum comentário:

Postar um comentário