sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

#SherlockLives: R.I.P MOUSTACHE, we will always remember you.

Olá estrelinhas! PRIMEIRO POST DO ANO, UHULLLLL \Õ/
E como fiz ano passado... Só que agora meio modificado...

2014!!!

Minhas cores favoritas pra desejar sorte e um lindo ano novo para vocês! *---*


Feliz ano novo meu povo! E... (O feliz ano novo especial de todos está aqui, click e leia.)
Acredito que todos sabem que nesse blog a única coisa normal é o tema, já que o nome dos posts é sempre diferente, e o conteúdo também. Afinal, só fiz três resenhas com real nome de resenha, e elas eram estranhas e limitadas. E hoje eu estou aqui para pirar um pouco mais (oh, isso é possível? é.) sobre a volta de Sherlock!
Vou falar minha opinião sobre The Empty Hearse, o primeiro episódio da terceira temporada de uma das melhores séries existentes!
E também quero avisar que não vou estar fazendo mais os vídeos de Harry Potter, pelo menos não agora, mas quem sabe mais pra frente... E que o post do diário que citei aqui não vai ser postado tão cedo por motivos de: eu não quero. E então é isso.
E agora se inicia... O meu não-review de Sherlock, The Empty Hearse, ou como resumiria perfeitamente esse momento...

 Voltou, não jogou xadrez, eu ri, apanhou do Hobbit e... Épico.

Títulos grandes e chamativos são legais. Agora vamos lá.
Primeiramente devo dizer que eu baixei o arquivo como "S3X1" e só depois percebi que Season, 3, x que geralmente é colocado para dividir e abreviar a temporada e o número de episódio da série e 1, na verdade formavam uma palavra. Sexy. Isso foi totalmente engraçado.
Segundo, FEELS!!! E terceiro... SPOILERS. Se você continuar depois do aviso SPOILERS em vermelho bem grande, qualquer coisa que se passe por sua mente depois disso é totalmente sua culpa. Sou inocente e bom exemplo, agora vamos lá. SPOILERS. Última chance. 
E um pequeno aviso... As imagens estão pequenas para organização, mas se quiser vê-las em tamanho maior é só dar um click sobre elas. E as imagens nem sempre estão em ordem de tempo do episódio.

Primeiro devo dizer... Teorias. Devem ter entrado em uma fanpage de Sherlock, lido todos as teorias dos fãs e feito esses fãs do episódio serem exatamente como os de verdade porque... GÉZUIS AMADO, essas teorias estão no nível de maluquice e talvez faça sentido dos fãs.
E devo dizer que achei super engraçada a outra teoria que vem mais pra frente do episódio, a teoria da parte do fandom que pra tudo é sinal de um ship homosexual. Ás vezes vocês exageram.
E sobre a imagem mais abaixo... Olha o cabelinho do Sherlock dhsudhnushdusdud achei isso tão engraçadinho, ele parecia um náufrago que sofreu anos em uma ilha e ai chorou quando perdeu sua bola que na verdade era um super amigo dele na volta pra casa e que me fez querer chorar com ele... Não, pera, isso é um filme. Um filme que se chama Náufrago
Último comentário sobre essa cena: O sorrisinho foi um amor <3
Voltando a parte técnica, o episódio já começou de uma forma que praticamente acalmou a ansiedade toda dos fãs que esperaram taaaaaanto como eu! Foi um inicio divertido, e também interessante de se ver exatamente pela situação que citei mais acima. O fato das teorias que foram geradas durante esses dois anos de espera.
Watson sofrendo foi tão awn, porque ele realmente sente falta do amigo completamente maluco que dividia um apartamento com ele! E lá no fundo ele sabia que algo poderia trazê-lo de volta, e ao mesmo tempo, super na normalidade ele sentia raiva de que se isso chegasse a acontecer, ele foi enganado afinal. É uma coisa bem humana que o Sherlock ás vezes não percebe que não expressa, e isso acaba criando uma visão de diferença entre eles, e que mesmo de ambos os jeitos, um mais humano e sentimental, e outro mais maluco e sem muitos abraços, ambos se importam um com o outro.


Depois de algum tempo se tornou impossível não implicar com o bigodinho sem noção do Watson.
Essas imagens não são seguidas no episódio porque resolvi fazer montagens só em alguns momentos e nesse em especial eu acabei pegando só a imagem da frase do Sherlock, mas realmente... Não implicar com esse bigodinho é impossível! Então relembrar uma zoação básica é ser feliz. hehe

Esse momento da imagem ao lado é aquele que deixa claro que as pessoas realmente não observam porcaria nenhuma ao seu redor, e que se observassem veriam tantas coisas quanto o Sherlock.
O melhor amigo não-morto dele está bem ali falando de champanhe com um óculos e um bigode - melhor que o do Watson, e é de caneta e mal feito então a coisa tá feia pro bigodudo - de caneta! DE CANETA, e uma gravata borboleta, tipo... É só olhar pra ele que a pessoa vai saber quem é!
Mas, ele estava tão nervoso com a situação toda de pedir a sua amada em casamento que não prestou atenção em nada realmente, mas e se fosse um assassino Watson? Ele teria te matado na hora pela sua falta de atenção! Se bem que...
Você é muito bom em defesa pessoal Watson. Muito bom. E em dar cabeçada no amigo que forjou a própria morte e depois voltou como se tudo estivesse bem você é melhor ainda, ninguém jamais poderia fazer melhor! (Até porque meus amigos fazem muito isso né, os amigos de todo mundo... Super normal.)
Alguns já tinham imaginado que aconteceria algo parecido quando Sherlock aparecesse depois de tanto tempo para ele, e de fato pra mim foi uma das melhores opções de reação possíveis. Ao mesmo tempo em que deu claramente para ver o quão irritado ele estava com isso e foi muito humano, foi super engraçado em certo ponto, não de gargalhar, mas divertido. E a Mary foi um amorzinho nesse episódio, gostei dela em Sherlock e até agora não mudei de opinião. Triste se ela tiver o mesmo final dos livros.

Outro momento super legal foi esse em que ela realmente deixa claro que entende Sherlock, e sabe que mesmo em suas maluquices e forma diferente de ser ele se importa com o homem que ela ama, e também foi algo divertido de se ver. Outra coisa dessa série que a torna tão genial, não é apenas sobre situações dramáticas e com super cenas, também há um humor negro nela e situações que te fazem pensar bastante. Nesse caso o que Sherlock disse me fez pensar em uma coisa bem filosófica, ninguém realmente sabe tudo sobre os humanos como dizem saber. Afinal, todos são diferentes e isso os torna confusos, e nem sempre outro humano que se diz seu amigo tem vontade de ler o livro inteiro para chegar a receber a conclusão. Então em certo ponto, Sherlock só é diferente porque ele demostra o que todos por educação acabam não demostrando. E uma dessas coisas é curiosidade.
E há também aqueles momentos em que ele se importa, mas não quer que saibam disso. E essas pequenas coisas o tornam um humano, não tão humano. E isso o torna incrível.

Esta imagem só está aqui porque achei
fofinho o fato da Mary ler o blog
do Watson sobre Sherlock, e ainda
dizer tudo em voz alta e estar de pijamas
e meias. Se as meias fossem coloridas
ia achar mais fofo ainda.
O episódio foi se tornando uma certa piadinha com alguns assuntos, e mesmo assim pude ver que aquilo na verdade eram sentimentos muito profundos. Foi divertido ver o Watson trabalhando agora em situações tão constrangedoras e MUITO divertido vê-lo achar que um dos paciente mais maluquinhos na verdade era o Sherlock fantasiado, e deixando bem claro que ele estava ali pensando no Sherlock o tempo todo, porque afinal, ele é seu melhor amigo, sempre vai ser. O maluco da Baker Street sempre vai ser o seu melhor amigo, e mesmo ele negando isso, sua mente ainda dizia que na verdade ele não deveria negar esse fato.
Gostei bastante de como eles levaram esse fato tanto nele quanto em Sherlock que meio que brigava com sua própria mente com fatos que o Watson teria em mente, quem diria... (Disse muito a palavra fato agora, mas tudo bem.) O grande Sherlock Holmes sentindo falta do seu amigo humano normal, do seu jeito maluco, mas sentindo falta.
E isso é legal! Todos os estranhos também sentem, mas de seus jeitos estranhos, e suas maluquices fazem total sentido em suas mentes, só que quando ditas em voz alta... Ninguém entende. Mas, elas continuam fazendo muito sentido em suas mentes, falei isso hoje para a minha mãe, mais do que entendo essa situação.

O casaco <3
Só tenho isso a dizer sobre essa cena.
Ela foi muito legal. Muito. Muito mesmo.
E agora chegamos um dos motivos de parte do subtítulo deste post.
Todos achando que eles estavam jogando Xadrez, e então de repente... Não é nada disso! Foi uma piadinha tão boa que acabou sendo apenas uma ironia divertida, e isso faz sentido. Embora estranho.
Mais uma vez a normalidade da família Holmes é questionada, e nesse episódio também conhecemos os pais de Sherlock! Que fofinhos... E que normais.
Foi divertido ver aquela situação e foi um tantinho engraçado - NÃO DEVERIA, mas pra mim foi - ver o Sherlock com vergonha da normalidade dos pais os expulsando da casa.
Poxa Sherlock! Não é certo fazer isso com os pais! Principalmente quando eles são tão fofos e queridos contigo! Mas, esse é o Sherlock, e o legal foi que os pais conhecem o filho que tem e sabem que mesmo no jeito diferente dele, ele se importa. Assim como com o tempo Watson percebeu, mas ainda duvida. Diferente dos pais que conhecem os filhos desde sempre e isso foi muito fofo e legal de ver, mesmo em tão pouco tempo. =/
Watson em perigo foi completamente sofrível! Sofri muito com ele tentando gritar e não sair nada, sei como é isso e não é nada bom, principalmente em uma situação em que você depende disso, e não tem como gritar. Pude sentir o desespero dele e fiquei brava com o pai daquela criança por simplesmente ter ignorado o comentário dela!
Porque esse povo costuma fazer isso? Se os pais ouvissem mais seus filhos muitos desastres não aconteceriam. O Watson poderia ter morrido! (Não chamei ele nenhuma vez de John, que estranho '-')
OS PARCEIROS DE CRIME, opa, os parceiros de resolver crimes estão de volta! \õ/
O Watson e sua normalidade lerda, e o Super Sherlock! -q
Nesse episódio Sherlock sofreu de algo muito normal, olhar e por nervosismo ou curiosidade extrema que te faz pensar e mil possibilidades você acaba não vendo algo muito importante, algo que responderia a maioria de suas perguntas. Foi legal mexer com isso, e a forma de dedução do Sherlock nessa temporada continua sensacional. Conseguiram manter a mesma linha mesmo depois de dois anos sem a série.
Tem que confiar MUITO em um amigo para poder sair andando pelos trilhos em busca de um vagão que na verdade tem uma grande possibilidade de explodir e matar todo mundo.
O suspense nos últimos minutos do episódio começaram a me deixar ansiosa, e nervosa. Realmente queria saber o que ia acontecer e entre mil teorias prestar atenção em tudo ficava cada vez mais difícil. E BOOM! Entre as luzes de duas lanternas os fatos começaram a vir! E mesmo assim não havia nada além de alguém querendo ser um terrorista e uma super bomba! UMA GIGANTE LINHA DE SUPER BOMBAS!

Porque você é Sherlock Holmes, você é tão esperto quanto diz ser. – Watson

O momento em que a bomba foi ativada... Foi pura emoção! De alguma forma você sabe que eles vão passar por isso, mas mesmo assim ver a situação inteira é interessante e te faz pensar em como exatamente eles vão passar por isso.

Você é o melhor e mais sábio homem que eu já conheci. – Watson

A situação parecia infinita e eu já estava começando a me preocupar e pensar em milhões de opções de como desligar uma bomba e estava quase na área "virei um esquadrão anti-bombas" de tanto nervosismo, não sabia o que esperar, só tinha certeza que logo Sherlock teria uma ideia maluca que salvaria o dia novamente, tinha isso em mente dede o início, mas essa frase do Watson como se ele estivesse dizendo um estranho tipo de adeus foi dolorosa demais de ouvir, sérião. Foi triste.
E ai tudo apagou e eu fiquei meio... O QUÊ?
Fiquei esperando o momento em que tudo voltaria e estava quase entrando em desespero profundo! A bomba não podia ter explodido os dois protagonistas, isso seria pior do que o final de Titanic! E de fato, eles não morreram e eu estava pensando meio que... BBC mais troll impossível. SÉRIO, os diretores e roteiristas das séries que conheço da BBC são tão trolls que chega a ser difícil de acreditar. E são os reis do eu vou deixar o fandom em lágrimas.
Foi completamente sofrível.
Estamos em uma cena completamente sofrível e de repente estamos na explicação da falsa morte! Sem saber como terminou a outra cena completamente sofrível! É sério, foi sacanagem colocar tudo desse jeito, e mesmo assim foi sensacional!
E mesmo ainda pensando na cena anterior o fã do Sherlock pedindo desculpas desesperado foi tão sofrível, o personagem foi bem explorado como um fã e se tornou algo divertido de assistir, fiquei triste por ele por alguns segundos e achei uma fofura o Sherlock tentando consolá-lo.
E sobre o desfecho no vagão do trem... SHERLOCK DESGRAÇADO, sinceramente estava esperando uma situação exatamente assim porque essa era uma das minhas teorias principais, mas foi tããão sofrível ver que eu precisava dizer isso.
Coitado do John!
Foi simplesmente o Sherlock sendo Sherlock.
E Molly... Você não seguiu em frente.
E MULHER, tu tem sérios problemas pra arranjar namorado! Só atrai confusão e gente maluca, vai procurar um tratamento!
E sobre o fato de que mesmo que tenham explicado uma suposta forma de como Sherlock Holmes sobreviveu a queda, é tão simples que chega a ser difícil de dizer se seria possível e é bobo em certo ângulo então isso te faz realmente questionar sobre o assunto. Não pode ser isso! E outras milhões de teorias vem a mente, e então... Pode ser isso! E você se confunde ainda mais. Na minha opinião foi simples demais e precisaria de muita sorte pra realmente dar certo, e se houvesse um simples erro?

Tudo acabaria ali mesmo! Então é meio que como se estivesse realmente em aberto como Sherlock sobreviveu, e acho que dificilmente eles vão querer falar sobre isso, até porque nos livros se não me engano nada foi explicado, não sei dizer porque não li todos os livros da coleção, e de qualquer forma Um Estudo em Rosa foi baseado em Um Estudo em Vermelho e tem poucas coisas realmente parecidas.
Não há como ter certeza se essa vai ser uma pergunta eterna sem reposta, se já foi respondida ou foi apenas um truque ou se vai ser respondida mais para frente. É tudo muito confuso e isso me deixa ainda mais ansiosa pelo próximo episódio dessa série incrível que Sherlock é!
E o mais legal de se essa explicação é verdade foi algo comum e simples, nada super difícil como acreditávamos que seria, foi algo que precisou de muita gente e boa execução. E mesmo simples, foi genial porque se algo não tivesse sido pensado corretamente e executado corretamente, mesmo que algo muito pequeno, o plano iria abaixo. Foi simplesmente muito, muito, muito bem pensado, mas ainda fico confusa sobre isso.
Ao ler os comentários sobre vi que a maioria concorda com o fato daquela ter sido a real explicação, mas de alguma forma eu vi uma dúvida ali e pode ser maluquice, mas sei lá... Acho que depois de tanto tempo esperando que Sherlock voltasse acabei criando ideias demais e agora tudo que parece bom demais para ser verdade, me trás teorias de que não é.
Este episódio em particular teve momentos para todos os lados do fandom mesmo em ilusão então foi realmente legal. Teve até as viagens na maionese do fandom!
Enfim, de qualquer forma essa é a minha opinião sobre o assunto e... Sherlock é simplesmente sensacional. Cada temporada se supera mais e os hiatus acabam valendo MUITO a pena. SUPER ansiosa para ver o próximo episódio!
E para fechar o post com chave de ouro...

R.I.P MOUSTACHE, we will always remember you. You was funny.
(E todos vão fazer o Watson lembrar de você para sempre também.)

Então é isso. Esse foi o primeiro post do ano!
Espero que tenham gostado, e... Vejo vocês no próximo post!
xx
Stephy.
(OHHHH DOCTOR, vem cá que eu preciso de um favor... Me leva lá pra domingo que eu quero assistir o episódio novo de Sherlock logo, por favor.)

Um comentário:

  1. Pois é. Se o Doctor nos desse o prazer de uma simples viagem para amanhã, seríamos eternamente gratos. Ôh, por que serdes tão boa Sherlock?

    /Eu realmente penso que aquela explicação seja a correta.

    Pobre John. Bigodin legal; pra quê raspar? hêhê

    ResponderExcluir